Lisboa, Terra minha

O meu vizinho da casa ao lado convidou-me para o aniversário do seu filho de quatro anos. Vi-me assim no meio de vinte pessoas que não conhecia (tios, avós, padrinhos, etc.) a rir e falar sobre coisas que não vêm ao caso. No final da jantarada vieram meia dúzia de fados da minha terra... E nunca a palavra Lisboa me cantara a alma de forma tão intensa!...

Sim, sou lisboeta. Tenho terra e vou à terra nos fins de semana, mesmo que essa terra seja Lisboa.

Sim, é verdade, o fado nem me diz assim tanto (apesar de me dizer mais hoje do que no antigamente).

Sim, é verdade, hoje tocou-me de forma bem especial.

Apesar de gostar de viver aqui pelo sul, sou lisboeta e amo a minha cidade, as suas colinas, as suas pessoas, os seus defeitos, o seu fado, o seu Rio...

Imagino-me agora a beber uma cerveja e a ler “Os Passos em Volta” do Herberto Helder no Adamastor.

Até amanhã

2 comentários:

Clitie disse...

Amar a minha terra?..
Muito bem!

concha disse...

Bom fim-de-semana na tua Lisboa!
Espero que o nosso Algarve deixe boas recordações como as desse dia!